aBERTURA

SETADI

Núcleo de Uibaí

Próximo Módulo em 21 de Maio de 2011

Disciplinas: Soteriologia e Cristologia

Compromisso com o ensino da Palavra de Deus!

Pré-Congresso

De Jovens

Dia 14 (Sábado) de maio na AD de Uibaí

Participe!

DIAS DE CULTOS

1. Domingo

- Escola Bíblica Dominical - Manhã

- Culto de Departamentos - Noite

2. Terça-Feira - Culto de Doutrina

3. Quarta-Feira - Culto Familiar

4. Quinta-Feira - Culto da Vitória

5. Sexta-feira - Circulo de Oração

Visite-nos!

Corpo de Obreiros

Credo das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil

Cremos...

1. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).

2. Na inspiração verbal da Bílbia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17).

3. Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is 7.14; Rm 8.34 e At 1.9).

4. Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus (Rm 3.23 e At 3.19).

5. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus (Jo 3.3-8).

6. No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26 e Hb 7.25; 5.9).

7. No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6 e Cl 2.12).

8. Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo (Hb 9.14 e 1Pd 1.15).

9. No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7).

10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1 Co 12.1-12).

11. Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda - visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16. 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5 e Jd 14).

12. Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra (2Co 5.10).

13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15).

14. E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis (Mt 25.46).

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

QUAL É A VONTEDE DE DEUS PARA A MINHA VIDA

TEMA – QUAL É A VONTEDE DE DEUS PARA A MINHA VIDA
TEXTO: Mt 6.10; 26. 36-42
Introdução.
A vontade de Deus manifesta-se de três maneiras:
1.  Vontade intencional — seu plano ideal.
2.  Vontade circunstancial — seu plano conforme as circunstâncias.
3.  Vontade última — a realização final de seus pro­pósitos.

I. COMO CONHECER A VONTADE DE DEUS?
Quero mesmo discernir a vontade de Deus, ou simplesmente quero que ele aprove a minha? Conta-se a história engraçada do pastor que fora convidado para pastorear uma igreja que paga­va um salário quatro vezes maior que o que ele vinha recebendo. Sendo homem consagrado, passou muitas horas em oração a fim de discernir a vontade de Deus. Certo dia um ami­go encontrou o filho desse pastor na rua e per­guntou-lhe:
— Então, o que o seu pai está fazendo?
— Bem — disse o garoto — meu pai está orando, e minha mãe encaixotando as coisas.
O pai perguntava a Deus: "Que queres que eu faça?". Mas a mãe, com intenções não tão boas, estava dizendo a Deus: "Vou fazer isso, Senhor. Espero que tu aproves".
Discernir a vontade de Deus significa colo­car-nos fora do quadro — não vamos escolher um caminho, argumentando que é o caminho de Deus, só porque é desagradável, nem ir ao outro extremo, dizendo: "Vou fazer tal e tal coisa. Por favor, aprove meu plano, Senhor, porque quero muito realizá-lo".
           Não se deixe levar simplesmente pelo sentimento.

1. Através da sua Palavra - O terceiro passo ao tentar compreender a vontade de Deus em sua vida é consultar Sua Palavra. Diz-nos o Salmo 119:105: "Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra, e luz para os meus caminhos." Se Deus está de fato nos guiando, Ele o faz através de Sua Palavra, e Ele nunca nos dirige de maneira que contrarie a Sua Palavra.
2. Por meio da oração.
3. Através do nosso estado interior. Se estamos em paz e tranqüilos, logo, podemos estar dentro da vontade de Deus.
Em Sua Vontade
Está a Nossa Paz"

Aceitar a vontade de Deus resulta em paz por três razões:
  1. Livra-nos do medo de nos perder. Todos sa­bem quão terrível é quando a criança não conse­gue encontrar o caminho de casa. Há uma boa ilustração a esse respeito, na maneira pela qual um piloto de avião descobre o caminho de casa. Uma onda de rádio é enviada pela estação de sua cidade. Desde que o piloto permaneça den­tro dessa onda e a siga, encontrará o caminho de casa. Se se desviar da onda, um ruído forte res­soará nos fones de ouvido, o que significa com toda clareza: "Você está indo na direção errada. Volte até que haja total silêncio". Dentro da onda sonora, há paz.
Creio não estar forçando a ilustração ao dizer que Deus envia, por assim dizer, uma onda de orientação — isto é, sua vontade para nós nas circunstâncias que enfrentamos agora — e, en­quanto estivermos dentro de sua vontade, tere­mos paz. A turbulência e a intranqüilidade tomarão conta de nossa mente, se nos afastarmos de sua vontade ou não conseguirmos achá-la.

  2. A segunda razão por que penso que encontra­mos paz na vontade de Deus é esta: elimina-se o terror de ter de carregar a responsabilidade dos fatos. Que momento angustioso quando a mul­tidão, clamando ardentemente pela crucificação de Cristo, gritava: "Caia sobre nós o seu sangue, e sobre nossos filhos". O povo entendia estar pronto para assumir a responsabilidade de seus atos.
Esse peso da responsabilidade com freqüên­cia nos esmaga. Mas creio que a mensagem de Deus a nós inclui isto. É como se ele nos disses­se: "Enquanto você estiver tentando fazer mi­nha vontade, aceitarei a responsabilidade por tudo que acontecer. Carregarei o fardo em seu lugar. Dirigirei sua vida, e as conseqüências se­rão minha responsabilidade, não sua". "Reco­nhece-o em todos os teus caminhos, e ele endi­reitará as tuas veredas" (Pv 3:6).

  3. A terceira razão por que na vontade de Deus re­side a nossa paz é que pela sua vontade nossos conflitos se resolvem.


II. QUAL É A VONTADE DE DEUS PARA A MINHA VIDA?

     1. A vontade de Deus é que creiamos nEle, que confiemos em Cristo como nosso Senhor e que O façamos Senhor sobre cada área de nossas vidas, completamente rendidos a Ele. Se apenas submetermos a Ele partes da nossa vida, estaremos admitindo que não O recebemos como Senhor.
       2. Sabemos com certeza que, uma vez encontrado Cristo, não devemos mais viver da mesma forma. "Vá e não peques mais", Jesus disse. E em 1 João 2:1 diz: "Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis". A vontade de Deus é que sejamos livres do pecado, não livres para pecar.
       3. A vontade de Deus que amemos uns aos outros. "Este é o meu mandamento: que amem uns aos outros", disse Jesus. Jesus também falou que, assim como o Pai perdoa os nossos pecados, devemos perdoar aqueles que pecaram contra nós. O perdão não é uma opção! Peço novamente que você interrompa esta leitura, pegue sua Bíblia, leia Mateus 6:14-15 e entenda o que o texto diz sobre o amor verdadeiro!
       4. A vontade de Deus que sejamos honestos. "Vocês não devem dar falso testemunho", diz a Bíblia, complementando essa exortação com o próprio Deus falando pelos seus servos: "Odeio e detesto a falsidade, mas amo a tua lei" (Salmos 119:163); "os justos odeiam o que é falso" (Provérbios 13:5); "cada um de vocês deve abandonar a mentira" (Efésios 4:25); e, ainda, "não mintam uns aos outros" (Cl 3:9). Mentir é pecado que a maioria dos cristãos comete de vez em quando. Nós damos desculpas ou mentimos para deixar de fazer algo ou de ir a algum lugar.
       5.  A vontade de Deus que sejamos testemunhas de Cristo. "Vocês serão minhas testemunhas", Jesus disse (Atos 1:8). E ainda: "Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura." (Marcos 16:15). Isto é um mandamento!
       6.  "A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual." (1 Ts 4:3); "O corpo, porém, não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo... não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vós... e que vocês não são de si mesmos?" (1 Co 6:13,19).
       7.   Sabemos com certeza que é a vontade de Deus que não O profanemos ou O desonremos com nossas palavras: "Não tomarás em vão o nome do SENHOR, o teu Deus, pois o SENHOR não deixará impune quem tomar o seu nome em vão..." (Êxodo 20:7).

Conclusão. Se estudássemos a Palavra de Deus, descobriríamos Sua vontade muito rapidamente sobre estas e sobre outras questões que Ele deixou bastante claras para cada um de nós. Estes mandamentos de Deus nos foram dados para nos proteger e para nos fornecer a vida mais abundante possível. Estes mandamentos existem porque Deus nos ama. Satanás quer que negligenciemos estes mandamentos de Deus a fim de que soframos as suas conseqüências, pois ele nos odeia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário