aBERTURA

SETADI

Núcleo de Uibaí

Próximo Módulo em 21 de Maio de 2011

Disciplinas: Soteriologia e Cristologia

Compromisso com o ensino da Palavra de Deus!

Pré-Congresso

De Jovens

Dia 14 (Sábado) de maio na AD de Uibaí

Participe!

DIAS DE CULTOS

1. Domingo

- Escola Bíblica Dominical - Manhã

- Culto de Departamentos - Noite

2. Terça-Feira - Culto de Doutrina

3. Quarta-Feira - Culto Familiar

4. Quinta-Feira - Culto da Vitória

5. Sexta-feira - Circulo de Oração

Visite-nos!

Corpo de Obreiros

Credo das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil

Cremos...

1. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).

2. Na inspiração verbal da Bílbia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17).

3. Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is 7.14; Rm 8.34 e At 1.9).

4. Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus (Rm 3.23 e At 3.19).

5. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus (Jo 3.3-8).

6. No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26 e Hb 7.25; 5.9).

7. No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6 e Cl 2.12).

8. Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo (Hb 9.14 e 1Pd 1.15).

9. No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7).

10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1 Co 12.1-12).

11. Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda - visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16. 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5 e Jd 14).

12. Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra (2Co 5.10).

13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15).

14. E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis (Mt 25.46).

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Estudo Bíblico para as Famílias


Introdução. Para a música tornar-se insuportável aos ouvidos, basta estar desafinado um dos tubos do órgão. Para toda a família sofrer, basta que um de seus membros não esteja afinado espiritualmente com os demais. O tubo desafinado é a causa da desarmonia, mas é difícil convencê-lo disto. Ele insiste que o problema está nos outros; e, se estes se endireitarem, harmoniado conjun­to será restabelecida.
Não há lugar tão propício para o Cristianismo brilhai e desenvolver-se como o lar. No entanto, é precisamente no lar onde mais se sente a falta da mensagem de Cristo É no lar que o crente tem de passar as maiores provações Se as vencer, estará apto a triunfar em toda a lida fora d< casa. Mas, se toda a família for verdadeiramente salva o lar há de ser um pedacinho do céu.
Já pensou quão numerosas seriam nossas igrejas a todos os membros das famílias evangélicas fossem salvos? Por isto, devemos lutar para que toda a família esteja aos pés de Cristo.

1. Toda a tua Família é Salva?

“Pela fé Noé, divinamente avisado a respeito das coisas”.
que ainda não se viam, sendo temente a Deus, construiu
uma arca para o salvamento da sua casa.
Hebreus 11.7

A primeira promessa a considerar foi feita a Noé. Deus não chamou somente ao patriarca, mas também a toda a sua casa a entrar na arca; e, assim, foi salva toda a sua família. A arca serve-nos como tipo de Cristo, o único que nos salva do dilúvio de pecado que nos quer destruir. Foi pela fé (Hb 11.7) que Noé cooperou com Deus, e conseguiu o indizível gozo de ver todos os seus entes queridos seguros consigo na arca, enquanto lá fora desciam as torrentes de água, provocando a maior destruição jamais vista pelos homens. Se tivermos a mesma fé, haveremos de ver cada um dos membros de nossas famílias refugiar-se em Jesus e, assim, salvar-se do horrendo dilúvio de incredulidade, pecado, vício e crime que destrói o mundo atual.

1.1.       Na vida de Abraão, Deus cumpre mais uma vez a sua vontade acerca da família. Disse o Senhor ao patriarca: "Porque o tenho escolhido, a fim de que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, que guardem o caminho de Jeová" (Gn 18.19)

1.2.       Ao instituir a páscoa, o Senhor ordenou aos filhos de Israel: "Tomarão... um cordeiro para cada família" (Ex 12.3). A páscoa é um dos tipos mais claros da salvação mediante o sangue de Cristo. E, cada família deveria imolar anualmente um cordeiro que já prefigurava o Cordeiro de Deus que haveria de tirar o pecado do mundo. Isto não quer dizer que todos os membros de nossa família serão salvos sem arrependimento e sem fé em Deus, mas que Ele se interessa em salvar toda a nossa casa.
1.3.       Faraó não consentia que os "pequeninos" de Israel saíssem do Egito com os pais (Êx 10.9-11). A escravatura e a amarga opressão do Egito são tipos da escravidão do pecado; Faraó tipifica Satanás, o qual não deseja que nossos filhos saiam do mundo conosco, pois sabe que voltaremos para ele se os nossos "pequeninos" ficarem em seu território. O Senhor Deus, todavia, exigiu que as famílias hebréias inteiras deixas­sem os domínios de Faraó. Nisto, há outra prova evidente de que Deus quer salvar toda a nossa casa.

1.4.       Josué é outro dos muitos exemplos de homens dedicados a Deus, que souberam ordenar toda a sua casa. Perante as tribos de Israel, reunidas em Siquém, conclamou o povo a seguir seu exemplo: "Eu e a minha casa, porém, serviremos ao Senhor". Seus filhos sabiam que sua religião era verdadeira, e que, enquanto Josué vivesse, teriam de servir fielmente a Deus.
1.5.       Se queres ver a família inteira salva, observa esta recomendação: "Vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos' reprovando-os e castigando-os enquanto encolerizados, "ma criai-os na disciplina e admoestação do Senhor" (Ef 6.4).

2.      Toda a tua Família Toma Parte no Culto Doméstico?

"tomou abrão a sarai, sua mulher,...
e vieram à terra de canaã,... e
edificou ali um altar ao senhor."
Gênesis 12.5-7

2.1.       Encontramos em Jó outro ideal de pai que, verdadeiramen­te, soube ordenar seus filhos nos caminhos de Deus. "Seus filhos iam nas casas uns dos outros e davam banquetes, cada um por sua vez... Jó santificava-os; e, levantando-se de madrugada, oferecia holocaustos... pois dizia: Talvez meus filhos tenham pecado (Jó 1.4,5)". Não lhe bastava evitar o próprio pecado; cuidava que seus filhos também não pecas­sem. Como sacerdote do lar, chamava-os para os santificar; levantava-se antes do romper da aurora para oferecer holocaustos por eles.
2.2.       Um dos mais conhecidos pregadores na história da Ingla­terra foi Ricardo Baxter. Quando ainda jovem, foi chamado a pastorear uma grande igreja, cujos membros eram ricos e instruídos. Achou-os, porém, frios e carnais. Por isso ficou desapontado e deixou-se levar pelo desânimo. No auge da crise, declarou: "O único meio de salvar a igreja e a circunvizinhança é estabelecer a religião nos lares, e levantar o altar familiar". Passou três anos trabalhando, visitando casas, disposto a estabelecer o culto doméstico em todos os lares. Seus esforços foram coroados de êxitos. E, assim, o culto doméstico serviu de base a um movimento que trouxe a igreja milhares de pecadores. Baxter provou que, para a igreja, o altar familiar é indispensável para se estender as estacas do Reino de Deus.
2.3.       Aqui desejo enumerar algumas das vantagens que a família usufrui quando, em espírito e verdade, faz o culto doméstico todos os dias:
1)   Torna o ambiente familiar um lugar agradável e enrique­ce a comunhão entre os membros da família;
2)   Evita as desavenças e acaba com os focos de desunião;
3)   Leva os filhos a perseverarem em seguir a Cristo, e determina o seu bem estar na eternidade;
4)   Prepara-nos a render o melhor serviço e a glorificar a Deus no trabalho diário, na escola, em casa, no escritório, no comércio ou na fábrica;
5)   Dá-nos força a enfrentar, com coragem, todos os problemas e tentações durante o dia;
6)   Faz-nos passar o dia na presença do divino Amigo e Ajudador;
Consagra a amizade com os hóspedes em nossa casa;
8)   Aumenta a influência e a obra da igreja no mundo inteiro;
9)   Anima outros lares a seguirem o mesmo exemplo;
10) Honra ao Pai celestial e manifesta nossa gratidão por sua misericórdia e bênção.

O segredo do culto doméstico está justamente em sua direção. Deve ser dirigido por alguém que mantenha comu­nhão com Deus, que estude a Bíblia e cujo objetivo seja o de levar toda a família a fazer o mesmo.

3.      Toda a tua Família Lê Diariamente a Bíblia?

"A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus. "
Romanos 10.17

3.1.       O missionário A. Sydenstricker narrou o seguinte: "Certo lavrador leu a Bíblia inteira, todos os anos, durante cinqüenta anos. Tinha sete filhos. Cinco tornaram-se ministros do Evan­gelho, e dois foram anciãos da igreja. Faz mais de quarenta anos que um dos filhos de um dos cinco ministros é missioná­rio na China, e eu sou esse filho".

3.2.       Sente-se a influência da vida de fé de Jorge Muler em todo o mundo. Não pedia auxílio ao próximo, mas sempre a Deus. Diz-se que, por mais de vinte e cinco mil vezes, Jorge Muler recolheu-se para dormir sem ter nada para si nem para os órfãos comerem no dia seguinte. Quando lhe perguntavam se conseguia dormir, respondia: 'Todas às vezes “. E o número de órfãos que tinha sob seu cuidado, às vezes, chegava a dois mil!
Quando um amigo quis saber o segredo desta fé, Jorge Muler levantou sua Bíblia, já gasta, e confessou: "Tenho lido este Livro todo cem vezes. Conheço o Livro e conheço o Deus do Livro".
Jorge Muler deu as seguintes regras para a leitura das Escrituras:
1)   Ler as Escrituras, inteiras, com regularidade. Ler capítulos do Antigo e do Novo Testamento, um após outro. Iniciar com o começo de cada um; marcar o lugar onde se finda e começar no mesmo lugar no outro dia. Ao findar cada Testamento, começar de novo.
2)   Lê-las com oração. Não podes entender a Palavra de Deus por teu próprio entendimento. Em toda a leitura das Escrituras, procura o auxílio do Espírito Santo. Pede, pelo amor de Jesus, que Ele te ilumine.
3)   Lê-las com meditação. Reflete no que lês. É assim, que a verdade penetra no coração. Alcançarás outros e mais profundos sentidos. É melhor pensares um pouco, do que somente ler, sem parar, uma grande porção.
4)   Lê-las aplicando-as a ti mesmo. Nunca leias somente com o alvo de instruir o próximo, mas aplica-as à tua própria edificação. Recebe a bênção parati, primeiro, e depois podes transmiti-la aos outros. Pergunta sempre: "Que aplicação tem isto para mim?"
5)   Lê-las com fé. Não como afirmações em que podes crer ou não, mas como a Palavra revelada por Deus. Aceitar toda a Palavra como verdadeira, com a confiança simples de criança. Descansar nas promessas. Lê-las como dirigidas a ti mesmo.
6)   Lê-las com o alvo de observá-las. Devemos aceitar a Palavra de Deus como revelação da sua vontade. Nela, Ele nos diz o que devemos ser e fazer.


4.      Toda a tua Família Adora a Deus no "Dia do Senhor?”

"Os ímpios serão lançados no inferno e todas as gentes
que se esquecem de Deus."
Salmo 9.17

De George Washington, primeiro presidente dos Estados Unidos, disse o seu pastor: "Não havia visita que pudesse evitar a presença do presidente nos cultos. Diversas vezes tenho visto a sua mesa repleta de visitantes no domingo; em vez de ficar em casa, sempre os convidava para acompanhá-lo aos cultos".
O exemplo deste grande estadista não foi mais notável do que o de Francês Ridley Havergal, que apresentou as seguintes razões, porque assistia aos cultos nos domingos chuvosos:
1)   Deus abençoou o dia do Senhor e o santificou, não fazendo exceção de dias frios nem de mau tempo.
2)   Espero assistir meu pastor; seria grande a surpresa se ficasse em casa por causa do tempo.
3)   Se suas mãos falhassem por fraqueza, sei que a culpa seria minha se eu não o sustentasse com minhas orações e presença.
4)   Se me ausentar poderei, assim, perder as orações que podem trazer-me a bênção e o sermão que seria para o meu bem.
5)   Há mais necessidade da minha presença nos domingos quando poucos assistem, do que nos dias quando a igreja está repleta.
6)  Seja qual for o meu lugar na igreja, o meu exemplo deve influenciar os outros. Se eu me ausentar, por que não o farão os outros?
7)  Qualquer negócio importante não me obriga a ficar em casa por causa da chuva. Assistir à igreja é, perante Deus, tão importante como qualquer negócio.
8)  Dentre as multidões que procuram divertimento, noto que não há mau tempo capaz de evitar que a mulher fraca assista ao baile ou ao teatro.
9)    Tal tempo revela para mim sobre qual fundamento a minha fé está edificada; prova quanto amo a Cristo. O amor verdadeiro raramente falha no cumprimento da promessa de
encontrar um amigo no lugar marcado.
10)   Aqueles que se ausentam do culto porque faz calor, frio OU por causa de chuva, freqüentemente perdem também os domingos de tempo bom. Não quero dar o primeiro passo no sentido de me ausentar da casa de Deus.
11)  Há promessa especial, garantindo que, onde dois ou três estiverem reunidos em nome do Senhor, Ele estará no meio deles.
12)  A ausência que se pode evitar, e não se evita, é prova de decadência espiritual. Aos discípulos que seguem a Cristo de longe, como Pedro, não custa chegar a desconhecê-lo.
13)  Não sei quantos domingos mais Deus quer conceder-me, e não estarei inteiramente preparado para meu primeiro domingo no céu se tiver descuidado do meu último na terra.


5.      Toda a tua Família é Vencedora?

"Segui a paz com todos, e a santificação sem a qual
ninguém verá ao Senhor."
Hebreus 12.14

Se andar em santidade fosse algo impossível, a Bíblia não teria ordenado a "fortalecer os vossos corações, de maneira que sejam irrepreensíveis em santidade diante do nosso Deus e Pai"(l Ts 3.13).
É claro que uma vida irrepreensível não está isenta de tentação. De ser tentado, nem Cristo escapou (Mt 4.1; Hb 4.15). A ocupação constante de Satanás é tentar-nos pelo olhar, pelo ouvir, pelo falar, pelo pensar etc (1 Pe 5.8). Porém o pecado só se concretiza quando consentimos na tentação. Não podemos evitar que voem os pássaros sobre nossas cabeças, mas podemos evitar que façam ninhos em nossos cabelos. "Deus é fiel, o qual não permitirá que sejais tentados além das vossas forças, mas também com a tentação provera o meio de saída para poderdes suportá-la" (1 Co 10.13).
Na vitória sobre a tentação, há segredo tríplice.
O primeiro é confiar que o "sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo o pecado" (1 Jo 1.7). Esse sangue purifica-nos em todo o momento, e não apenas quando de nossa conversão. Para aqueles que confiam no sangue do Cordeiro, a sua obra é ininterrupta como o líquido lacrimal que banha perfeita e constantemente o globo ocular, conservando-o limpo e eficiente apesar da poeira sempre presente na atmos­fera.
O segundo é andar no Espírito. O Espírito Santo tem de ocupar todas as divisões de nosso coração. Nisto encontra-se a resposta para aqueles que clamam: "Não faço o bem que quero: mas o mal que não quero, esse pratico... Infeliz homem sou eu! Quem me livrará do corpo desta morte" (Rm 7.14,24)? E com Paulo, também, podemos passar a louvar a "Deus por Jesus Cristo nosso Senhor" que nos dá a vitória (Rm 7.25). Isto ainda mais enfatiza os versículos que seguem. "Vós, porém, não estais sujeitos à carne, mas ao Espírito se realmente o Espírito de Deus habita em vós" (Rm 8.9; comp. v. 37; Zc 4.6). Como a maré entra no porto levantando as embarcações da lama e cobrindo a imundície, assim, o Espírito Santo quer encher nosso coração, levando-nos a odiar tudo que é pecado. Ele enfrentará o velho homem em nós, produzindo somente aquele fruto que a nossa alma anela (Gl 5.16-23).
O terceiro é olhar para Jesus. Antes de sairmos de nosso quarto, é essencial aceitar, para aquele novo dia, a promessa de refúgio de nossas casas (SI 91.4). Ele quer guardar a nossa alma durante o dia (2 Tm 1.12). Poderá Ele guardar, porém, aquilo que não lhe entregamos?
Ao seres tentado, experimenta fitar "os olhos em Jesus, autor e consumador da fé" (Hb 12.2)? O pecado ao nosso redor é como as águas que nos deixam atônitos e em perigo de cair na perdição. Mas Cristo é como a rocha em que podemos fitar os olhos e firmar-nos.
Seja qual for a tentação, há vitória certa para os que olham para "aquele que vos pode guardar de tropeçardes e vos apresentar diante da sua glória sem defeito, em grande gozo"
(Jd 24).

6.      Toda a tua Família é Útil ao Senhor?

"Recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo."
Atos 1.8
"Mas enchei-vos do Espírito." Efésios5.18

"Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes
erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao
seu possuidor, estando preparado para toda boa obra."
2 Timóteo 2.21

Aquele que criou o rádio quer que todos os seus filhos também tenham vida em abundância, vida que emita luz e calor ininterruptos num mundo que está cheio de incredulida­de. O Senhor Jesus assim vivia. Não se podia esconder do povo, nem quando entrava em casa querendo que o ignorasse (Mc 7.24). Transbordava de virtude. Bastava aos doentes tocarem nas fímbrias de suas vestes para que fossem curados.
Semelhantemente, a vida de Jesus não é para aquele que se sente tentado a dizer: "Não posso achar tempo para o culto doméstico, nem para a oração ou para a leitura da Bíblia". Apesar de tantas ocupações, sempre há os que vencem para seguir o exemplo de Moisés, Daniel e outros homens que foram poderosos em oração. O que dizer do amado Salvador que, embora estivesse constantemente ocupado com as mul­tidões, mantinha permanente contato com o Pai?
A vida espiritual, que emite luz e calor ininterruptos, como na ilustração do rádio, também não é para os que, formalmen­te, se limitam a orar, ler a Bíblia, pagar os dízimos etc. Mas para os que fazem tudo isto com espírito de verdadeira adoração.

7.      Toda a tua Família Ganha Almas?

"Ai de mim se não anunciar o Evangelho!" 1 Coríntios 9.16
   
 Certa feita, um grupo de comunistas chegou aporta da casa de João Stam, missionário na China, exigindo que ele lhes arranjasse uma grande soma de dinheiro senão morreria. Quando João explicou que não tinha essa soma e que era impossível arranjá-la, foi levado para fora juntamente com sua esposa. O chefe do grupo, segurando João Stam pelos cabelos, decepou-lhe a cabeça. A esposa, depois de presenciar a morte do marido, foi morta da mesma maneira.
A história é triste, mas há mais para contar.
Podemos imaginar como cantaram os anjos nos céus: "Erguei, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos ó portas antigas e saudai João Stam! Aqui há vestes e coroa". João responde: "Um pouco e minha esposa virá". E de repente Betty Stam aparece. Há festividades nos céus, por mais dois missionários que cumpriram sua missão.
Quando as notícias foram recebidas em Chicago, declarou um pastor: "Dois de nossos missionários acabam de dar suas vidas por Cristo, e vós, o que ireis fazer?" Diz-se que imedi­atamente quatrocentos moços puseram-se de pé, cada um dizendo: "Continuarei a obra onde eles findaram!" E oraram: "Ó Senhor, envia-me a mim!" E grande número desses jovens foi trabalhar na China.
Devemos tirar a pedra que impede de nos dedicarmos inteiramente ao Senhor. Precisamos nos dar sem reservas àquele que morreu na cruz para nos salvar. Isto pode significar a nossa morte, como a de João e Betty Stam; mas professe­mos : "Senhor, não tenho as coisas deste mundo e nem a minha vida como preciosas a mim mesmo". Não há nada de valor a não ser Cristo e a sua obra. O salvador está chamando e devemos apresentar-nos como vasos para Ele limpar, prepa­rar, encher com seu Espírito e usar como Ele quiser.

8.      Toda a tua Família Contribui e Paga o Dízimo?

"E aqui certamente tomam dízimos
homens que morrem; ali, porém,
aquele de quem se testifica que vive."
Hebreus 7.8

Como acontece em todos os mandamentos, a ordenança acerca dos dízimos faz-se acompanhar de promessas: "Trazei o dízimo todo à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se não vos abrir eu as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção até que não haja mais lugar para a recolherdes. Por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide perderá no campo o seu fruto antes de tempo, diz o Senhor dos Exércitos. Todas as nações vos chamarão ditosos; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz Jeová dos Exércitos" (Ml 3.10-12).
O que rouba a Deus nos dízimos, torna-se pobre material e espiritualmente. Como o Senhor poderá abençoar ao que o defrauda? Os pregadores de maior fé já provaram que o melhor conselho a dar àqueles que não pagam suas dívidas é que comecem a pagar ao Senhor o décimo do pouco que recebem. Deus não pode falhar na sua promessa: "Um dá liberalmente, e se lhe acrescenta mais e mais; outro poupa mais do que é justo, mas se empobrece" (Pv 11.24).
O filho de Deus que começa apagar o dízimo fica surpreso, pelo menos com seis coisas:
1) Como tem tanto dinheiro para a obra do Senhor!
2)   Como os nove décimos, com a bênção de Deus, compram mais que os dez sem esta bênção!
3)   Como a vida espiritual torna-se mais abundante!
4)   Como é fácil depois de pagar o dízimo ter com o que contribuir ainda mais com a Obra de Deus!
5)   Como é concedida sabedoria ao administrador fiel para gerir os nove décimos que ficam em suas mãos!
E ficará surpreendido porque não resolvera mais cedo a ser dizimista.

"Acaso é tempo de habitardes vós nas vossas casas forra­das, enquanto esta casa fica desolada? Agora, pois, assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos. Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, porém, não vos fartais; bebeis, porém, não vos saciais; vesti-vos, mas ninguém fica quente; e quem recebe salário, recebe-o para o meter num saco furado" (Ag 1.4-6).

9.      Todo o meu Ser - A Suprema Decisão

"Eu e a minha casa serviremos ao Senhor." Josué 24.15
Conta Jorge Truett que certa vez foi convidado a presidir uma cerimônia fúnebre. O pregador, querendo saber algo sobre a falecida (uma jovem de apenas dezesseis anos), fez algumas perguntas à mãe, que lhe respondeu: "Irmão Truett, ela era a única filha". Voltou-se o pregador: "Sim, mas não te entristeças como os demais que não têm esperança". Descon­soladamente, porém, replica-lhe a mãe da jovem: "No caso de nossa filha, pastor, não temos esperança, porque ela não era crente".
Em seguida, chorando amargamente, a pobre mulher desabafou: "Apesar de nossa filha ter nascido num lar cristão, ela nunca ouviu uma oração de nossos lábios. Por isto, ela jamais se converteu. Agora, o sangue dela cairá sobre nós".
Os pais daquela jovem diziam-se crentes, mas nunca agiram como tais. Que Deus tenha misericórdia dos filhos nascidos nesses lares!
É indispensável também que animes a cada um de teus entes queridos, em particular, a buscar mais do Espírito Santo (Ef 5.18). Não é só o pastor, ou o diácono da igreja, que precisa encher-se do Espírito, mas cada membro de nossa família. Quantos problemas são resolvidos cada vez que um de nossos filhos fica cheio do Espírito Santo? Como podem os pais cumprirem fielmente a sua tarefa sem estarem cheios do Espírito? E como será grande seu galardão no grande dia!
Resolvamos juntos: "Para salvar toda a minha família, não farei menos do que o meu melhor. Estou decidido a reler e praticar o que está traçado nos vários capítulos deste livro, com o alvo de levar minha família toda à cidade celestial. E perseverarei, de todo o meu ser, mesmo quando não houver mais esperança".



Boyer, Orlando
BOYt    Toda a Família.. ./Orlando Boyer.
1 .ed. - Rio de Janeiro: Casa Publicadora das
Assembléias de Deus, 1994.

Nenhum comentário:

Postar um comentário