aBERTURA

SETADI

Núcleo de Uibaí

Próximo Módulo em 21 de Maio de 2011

Disciplinas: Soteriologia e Cristologia

Compromisso com o ensino da Palavra de Deus!

Pré-Congresso

De Jovens

Dia 14 (Sábado) de maio na AD de Uibaí

Participe!

DIAS DE CULTOS

1. Domingo

- Escola Bíblica Dominical - Manhã

- Culto de Departamentos - Noite

2. Terça-Feira - Culto de Doutrina

3. Quarta-Feira - Culto Familiar

4. Quinta-Feira - Culto da Vitória

5. Sexta-feira - Circulo de Oração

Visite-nos!

Corpo de Obreiros

Credo das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil

Cremos...

1. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).

2. Na inspiração verbal da Bílbia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17).

3. Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is 7.14; Rm 8.34 e At 1.9).

4. Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus (Rm 3.23 e At 3.19).

5. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus (Jo 3.3-8).

6. No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26 e Hb 7.25; 5.9).

7. No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6 e Cl 2.12).

8. Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo (Hb 9.14 e 1Pd 1.15).

9. No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7).

10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1 Co 12.1-12).

11. Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda - visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16. 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5 e Jd 14).

12. Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra (2Co 5.10).

13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15).

14. E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis (Mt 25.46).

sábado, 27 de novembro de 2010

PARACLETOLOGIA

INTRODUÇÃO

            O Espírito Santo pode ser estudado sob dois aspectos distintos. Um diz respeito a sua pessoa como enviado de Jesus para estar com a igreja, assisti-la, guiá-la, orná-la e levá-la, no arrebatamento, ao encontro de Jesus; neste caso a disciplina é estudada sob o título de PARACLETOLOGIA. Outro refere-se ao Espírito Santo enquanto tal, uma pessoa da divindade; neste caso a disciplina chama-se PNEUMATOLOGIA.

            “É uma necessidade imperiosa conhecermos não apenas a doutrina, mas o que o Espírito Santo pode e quer fazer em nós e por nós. É também pelo poder do Espírito Santo que a Igreja de Cristo pode triunfar dos poderes satânicos. Por isso, convém-nos conhecê-lo na sua plenitude”, Estêvam Ângelo, in Nos Domínios do Espírito, p. 7.
           
            E, além de uma necessidade, é um dever de todo crente salvo conhecer Aquele que é, por toda a eternidade, seu Consolador e Guia. John Dagg disse: “...dependemos do Espírito Santo para a existência da vida espiritual e das faculdades necessárias  à ação no campo do espírito. Mas nossa dependência do Espírito Santo é ainda mais extensa. A própria disposição para uma atitude santa procede do Espírito; o surgimento dessa disposição é obra peculiar do Espírito de santificação. Em nossas ações naturais vivemos e nos movemos em Deus; em nossas ações espirituais, vivemos e andamos no Espírito Santo.”  (Manual de Teologia, p 189).


I. A PERSONALIDADE DO ESPÍRITO SANTO

            É necessário encontrarmos provas da personalidade do Espírito Santo por várias razões. Primeira, porque o Antigo Testamento refere-se a Ele de forma impessoal, geralmente através de símbolos. Segunda, porque a palavra “Espírito” é neutra no grego (pneuma). Por estes motivos, desenvolveu-se o entendimento errôneo de que o Espírito Santo não é uma pessoa. No entanto, muitos textos do Antigo e do Novo Testamento referem-se ao Espírito Santo como sendo uma individualidade, uma pessoa; e isto de várias formas.

            Ademais, a personalidade existe quando, em uma única combinação, reúnem-se intelecção, emoção e volição, ou ainda autoconsciência e autodeterminação. Todos estes atributos o Espírito Santo possui.

            1. O Espírito Santo possui intelecto:
                 => Ele Ensina - Ne 9.20;  Jo 14.26;  16.7,8,13,14;
                 => Ele Pensa - Rm 8.27;
                 => Ele Guia - Rm 8.14; 1 Co 2.10,11;
                 => Ele Convence - Jo 16.8.

            2. O Espírito Santo Possui Sentimento:
                 => Ele se Entristece - Ef. 4.30;
                 => Ele Ama - Rm 5.5; 15.30;
                 => Ele Alegra - Lc 10.21; Rm 14.17
           
            3. O Espírito Santo tem vontade Própria (volição).
                . Realiza as obras de Deus conforme sua vontade - 1 Co 12.11;
                . Impediu Paulo e sua comitiva de pregarem na Ásia - At 16.6;
                . Decide e ordena - At 13.2;  20.28.

            Além dessas provas da personalidade do Espírito Santo, há na Bíblia inúmeras outras evidências, vejamos:
            => Ele fala - Ap 2.7
            => Ele intercede - Rm 8.26
            => É referido por pronomes pessoais - Jo 14.26; Rm 8.14.

            “O Espírito Santo é distinto do Pai e do Filho. As mesmas passagens que provam a Sua personalidade, provam também esse fato. Ele não poderia ser um “outro Consolador”, se não fosse distinto do Filho; e nem ter sido “enviado pelo Pai”, se não fosse distinto do Pai. Na comissão para


batizar e na bênção apostólica, manifestam-se igualmente tanto a Sua Personalidade, quanto a Sua distinção das Pessoas do Pai e do Filho, com os quais é nomeado” (John Dagg).

II. A DIVINDADE DO ESPÍRITO SANTO

            Já vimos que existe uma pessoa a quem a Bíblia chama Espírito Santo. Resta-nos saber qual a natureza e quais os atributos dessa pessoa. As Escrituras declaram enfaticamente que ele é divino. Significa, então, que o Espírito Santo é Um com Deus, é co-igual, co-eterno e consubstancial com o Pai e com o Filho.

            “Os profetas eram mensageiros de Deus; eles proferiam as palavras do Senhor, transmitiam Seus mandamentos, pronunciavam Suas ameaças e anunciavam Suas promessas, visto que falavam conforme eram movidos pelo Espírito Santo. Serviam de órgãos de Deus porque eram os órgãos do Espírito. Por conseguinte, o Espírito há de ser Deus.”  (Hodge).

01. NOMES DIVINOS LHE SÃO ATRIBUÍDOS
      a) Senhor -  2 Co 3.18;  Is 6.8-10 comparar com At 28.25-27; 
      b) Deus  - At 5.3,4.

02. ATRIBUTOS DIVINOS LHE SÃO REFERIDOS
      a) Eternidade  - Hb 9.14;
      b) Onipresença - Sl 139.7-10;
      c) Onipotência - Lc 1.35;
      d) Onisciência  - 1 Co 2.10,11.

03. OBRAS DIVINAS SÃO REALIZADAS POR ELE
      a) Criação - Jó 33.4; Sl 104.30;
      b) Transmissão de vida - Rm 8.11;  Jo 6.63; Gn 2.7;
      c) Profecia divina - 2 Pe 1.21;  2 Sm 23.2,3.

04. SEU NOME APARECE ASSOCIADO AO DO PAI E DE CRISTO
       a) Na comissão apostólica - Mt 28.19;
       b) na administração da Igreja - 1 Co 12.4-6;
       c) na bênção apostólica - 2 Co 13.13.

            “As Escrituras claramente revelam ser o Espírito Santo uma Pessoa divina, definida. Também o mesmo Espírito indica a sua própria deidade quando age com Deus” (Estêvam Ângelo de Souza).


III. AS OBRAS DO ESPÍRITO SANTO

            O Pai, o Filho e o Espírito Santo trabalham sempre em conjunto em cada manifestação das obras de Deus. O Pai é o Autor, o Filho é o Executor e o Espírito Santo é o Ativador de cada ato. Assim, o Espírito Santo é quem ativa e conclui os atos iniciados.

1. EM RELAÇÃO AO UNIVERSO MATERIAL
    a) Participou da sua Criação - Sl 33.6; Jó 33.4;
    b) Restaura e Preserva - Gn 1.2; Sl 104.29,30; Is 40.7.

2. EM RELAÇÃO AOS HOMENS NÃO REGENERADOS
 a) Luta com eles - Gn 6.3;
 b) Testifica-lhes - Jo 15.26; At 5.30-32;
 c) Convence-os - Jo 16.8-11.

3. EM RELAÇÃO AOS CRENTES
    a) Regenera - Jo 3.3-6;  Tt 3.5;  Jo 6.63;  1 Pe 1.23;  Ef 5.25,26;  1 Co 2.4  comp. 3.6.
    b) Batiza no Corpo de Cristo - 1 Co 12.12,13;
    c) Sela o crente salvo - Ef 1.13,14;  4.30;
    d) Habita no crente - Rm 8.9;  1 Co 3.16;  6.15-19;
    e) Proporciona Segurança - Rm 8,14-16;
    f) Fortalece - Ef 3.16;
    g) Liberta - Rm 8.2;
    h) Guia - Rm 8.14;
    i) Chama para serviço especial - At 13.2,4;
    j) Orienta em serviço - At 8.27-29;
    k) Equipa para o trabalho:
         => iluminando -1 Co 2.12,14,  => instruindo - Jo 16.13,14,
         =>capacitando - 1 Ts 1.5;  At 1.8;  1 Co 2.1-5;
    l) Produz o fruto da nova vida em Cristo - Gl 5.22,23 comp. Rm 5.5; 14.17; 15.13;
    m) Santifica - 1 Pe 1.2;  Rm 1.4; 2 Ts 2.13;
    n) Possibilita todas as formas de comunhão com Deus:
         => na oração - Jd 20;  Ef 6.18;  Rm 8.26,27,  
         => na adoração e louvor - Fp 3.3;  At 2.11,
         => na gratidão - Ef 5.18-20;
    o) Vivificará o corpo do crente - Rm 8.11,23.

4. EM RELAÇÃO A JESUS CRISTO
    a) Concebido pelo Espírito Santo - Lc 1.35;
    b) Ungido com o Espírito Santo - At 10.38;  Is 61.1;  Lc 4.14,18;  Mt 12.17,18;
    c) Guiado pelo Espírito Santo - Mt 4.1;  Lc 4.1;
    d) Cheio do Espírito Santo - Lc 4.1;  Jo 3.34;
    e) Realizou seu Ministério no Poder do Espírito - Lc 4.18,19;  Is 61.1; Lc 4.14;
    f) Ofereceu-se em Sacrifício pelo Espírito - Hb 9.14;
    g) Ressuscitado pelo Poder do Espírito - Rm 8.11;  Rm 1.4;
    h) Deu Mandamentos aos Apóstolos por intermédio do Espírito - At 1.1,2.

5. EM RELAÇÃO ÀS ESCRITURAS
    a) É seu Autor - 2 Pe 1.20,21;  2 Tm 3.16;  2 Pe 3.15,16;  Jo 16.13;
    b) É seu Intérprete - Ef 1.17;  1 Co 2.9-14;  Jo 16.14-16.

6. EM RELAÇÃO À IGREJA

            O Espírito Santo age em todas as direções e alcança a todos os seres humanos, quer individualmente, quer organizados em sociedades. No entanto, cremos, sua atenção volta-se com maior cuidado e atenção para a Igreja. Como o Corpo de Cristo e propriedade peculiar de Deus Pai, cabe ao Espírito Santo formá-lo pela edificação, levá-lo à perfeição e à santificação, habilitá-lo para o desempenho do seu ministério, prepará-lo para o Grande Dia do Arrebatamento e levá-lo ao encontro do Senhor Jesus Cristo. Assim:
            a) Fez nascer a Igreja - Atos cap. 2;
            b) Adorna com seus Dons - 1 Co 12.1-11;
            c) Aperfeiçoa com seu fruto - Gl 5.22,23.
            d) Cuida levantando Pastores - At 20.28;  1 Pe 5.1,2;
            e) Levará ao encontro de Jesus - Jo 14.16 comparar 2 Ts 2.6,7 e Gn cap 22.

7. O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO

            O Batismo com o Espírito Santo é um revestimento de poder efetuado por Jesus Cristo no crente salvo, que lhe dá condições de viver genuinamente como cristão e fazer as obras do Senhor na terra.

A. CARACTERÍSTICAS GERAIS
     a) Foi predito - Is 44.3;  Joel 2.28-32;  Mt 3.11;  At 1.5;  Jo 14.16,17;  Lc 24.49;
     b) Para todos os Salvos - Mc 16.17; At 2.1-4,39;
     c) De todas as procedências - At 8.1-17; 10.34-46; 19.1-6;
     d) Que pedirem em oração - Lc 11.13;

B. PROPÓSITOS
     a) Cumprir a Promessa do Pai e do Filho;
     b) Preparar para o Serviço Cristão - Lc 24.49; At 1.8;
     c) Intensificar a Santificação - Rm 1.4;  1 Pe 1.2;
     d) Propiciar a dotação dos dons espirituais e ministeriais - 1 Co 12.1-11;  Ef 4.11.
C. EVIDÊNCIAS DO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
     a) Falar novas línguas - At 2.1-4; 8.14-19;  10.44-46; 19.1-6.

            As obras realizadas pelo Espírito Santo revelam sua permanente atividade e estabelecem as verdades anteriormente ditas: que Ele é uma Pessoa Divina. E é glorioso saber que o trabalho dessa Pessoa Divina inclui nossas vidas em todos os aspectos da nossa existência.      

IV. OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

            “Os dons do Espírito são os meios pelos quais os membros do corpo de Cristo são habilitados e equipados para a realização da obra de Deus. Sem os dons do Espírito, ao invés de a Igreja ser um organismo vivo e poderoso, seria apenas mais uma organização humana e religiosa.” (Estêvam Ângelo de Souza).

            Conforme Paulo disse aos coríntios (1 Co 11), os dons são em número de nove (09), classificados da seguinte maneira:

A. DONS DE REVELAÇÃO

            São os dons pelos quais a insondável sabedoria de Deus se manifesta no crente salvo, revelando-lhes e fazendo-lhes conhecer verdades que a mente comum jamais alcançaria. São eles:

            1. Palavra da sabedoria - concede habilidades para aplicar a ciência de Deus em todas as áreas da vida.

            2. Palavra do conhecimento - concede habilidades para penetrar nos mistérios de Deus, sua profunda ciência.

            3. Discernimento de espíritos - proporciona conhecimento claro e inequívoco dos espíritos que inspiram e operam em certas pessoas e instituições.
            Estes dons são indispensáveis àqueles que lideram e exercem governo na Igreja.

B. DONS DE PODER

            São os dons através dos quais o Espírito Santo capacita o crente a intervir sobre as forças da natureza, realizando prodígios que escapam à compreensão humana, visando sempre o bem humano e a glória de Deus.

            1. Fé - fé aqui não é a mesma fé que opera a salvação, mas uma confiança absoluta de que tudo é possível em Cristo Jesus. É um impulso poderoso à oração da fé (Tg 5.17), que produz a certeza de que para Deus tudo é perfeitamente possível.

            2. Curar (dons de) - consistem numa ação do Espírito Santo através da qual o poder de cura que Jesus ganhou é transmitido ao doente de modo abundante, imediato, para a cura completa.

            3. Operação de milagres - este dom, operado pelo Espírito Santo, concede possibilidades de operações de milagres diversos, às vezes inusitados, que provocam espanto, assombro, por se tratar de evento incomum ou inexplicável.

            Este grupo de dons são indispensáveis aos missionários, pastores e evangelistas, visto que lidam diretamente com o povo, a quem querem fazer conhecer a Deus e ao seu plano de salvação, e por serem esses obreiros os despenseiros da graça multiforme de Deus.

            A operação de milagres não deve ser um meio de gerar fé, isto pertence a Palavra de Deus, mas para estimulá-la. Nem deve ser usada para a promoção individual ou da igreja onde são manifestados, mas para a glória de Deus e o engrandecimento do nome de Jesus Cristo, o Senhor da Glória.
C. DONS DE ELOCUÇÃO

            São os dons através dos quais o Espírito Santo habilita o crente ao uso sábio, atraente  e eloqüente da palavra. Esses dons funcionam sempre com sentido profético, visando edificar, consolar ou exortar tanto a quem os usa, quanto a quem os ouve.
           
            1. Profecia - É a voz do Espírito Santo através da qual a fé e a sabedoria falam visando edificar, exortar ou edificar. Uma mensagem inspirada pode conter um elemento profético. A concretização da profecia é o seu cumprimento (Dt 18.22).

            2. Variedade de Línguas - É o dom através do qual o crente batizado com Espírito Santo fala de mistérios com Deus em idiomas que nunca estudou (1 Co 14.2). As línguas edificam quem fala, mas o entendimento fica infrutífero (1 Co 14.4,14). Havendo a interpretação, as línguas funcionam como profecia (1 Co 14.5). Não havendo interpretação, quem fala em línguas deve controlar-se e falar apenas à Deus (1 Co 14.28).

            3. Interpretação de Línguas - É o dom através do qual, sobrenaturalmente, um crente inspirado pelo Espírito Santo interpreta outro que, também inspirado pelo Espírito Santo, fala línguas estranhas. Como dissemos antes, a interpretação das línguas funcionam como profecia.

            Este grupo de dons espirituais é indispensável tanto ao crente individualmente, quanto à igreja como um todo. A profecia por causa da sua tríplice função e porque serve de obstáculo à corrupção (Pv 29.18) e meio de infundir temor sadio nos crentes (1 Co 14.24,25). As línguas por tornarem eficaz a oração e promoverem a edificação pessoal de quem fala. A interpretação, por servir de profecia e alcançar à todos.

V. OS NOMES DO ESPÍRITO SANTO

            A Bíblia se refere ao Espírito Santo com diversos nomes os quais revelam sua natureza, sua obra e suas relações com o Pai, com o Filho, com os homens e com a Igreja. Há muitas maneiras de classificar esses nomes. Vamos adotar o modo NATUREZA-OBRA.

1. NOMES QUE EXPRESSAM SUA NATUREZA
a) Espírito Santo - Jo 20.22;  Lc 11.13;  Ef 1.13; Rm 1.4;  2 Ts 2.13;
b) Espírito Eterno - Hb 9.14; Sl 90.3;
c) Espírito de Verdade - Jo 16.13; 1 Jo 5.6; 19.34;
d) Espírito de Amor - 2 Tm 1.7; Rm 15.30; Rm 5.5; 8.15; Lc 24.39;
e) Espírito de Poder - 2 Tm 1.7; At 1.8; Lc 24.49;
f) Espírito de Sabedoria e de Revelação - Ef 1.17; 1 Co 2.10,11; Is 11.2.

2. NOMES QUE EXPRESSAM SUAS OBRAS
    a) Espírito de Graça - Hb 10.29; Zc 12.10;            
    b) Espírito de Vida - Rm 8.2; Jo 3.6;
    c) Espírito de Adoção de Filhos - Rm 8.15; Gl 4.6;
    d) Espírito de Fé - 2 Co 4.13; At 6.5; 11.24;
    e) Espírito de Súplicas - Zc 12.10; Rm 8.26,27;
    f) Espírito da Glória de Deus - 1 Pe 4.14; 2 Co 3.18;
    g) Espírito Santo, o Consolador - Jo 14.26; 16.7;  15.26;
    h) Espírito da Promessa - Ef 1.13;  At 1.4,5.

            O Espírito Santo foi enviado pelo Pai, mediante a intercessão de Jesus Cristo, o Filho, para estar com a Igreja para sempre. Enquanto vivermos na terra, Ele nos assiste, guia, consola, orienta, inspira e capacita para realizar o propósito de Deus. E, seus diversos nomes nos permite conhecê-lo e ao que Ele pode fazer em nós e por nós.


VI. OS SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO

            Os símbolos do Espírito Santo, conforme apresentados na Bíblia, representam sua divina ação através dos vários ministérios que exerce em favor do povo de Deus.
1. FOGO - Lc 3.16 - simboliza sua força em relação às diversas maneiras de operar em nós, visando corrigir os defeitos da nossa natureza decaída e conduzir-nos à perfeição. Como o fogo consome, assim também Espírito Santo destrói tudo o que é falso (1 Co 3.13-15). De igual modo, limpa nossos corações e mentes das escórias do pecado (Is 6.1-7).

2. VENTO - At 2.2 - significa que, apesar de não o vermos, sua presença e obras são reais e que sua ação não depende de determinação humana (Jo 3.8). Simboliza também a ação alimentadora da vida espiritual (Jo 20.22; Ez 37.9,10; Gl 5.25).

3. ÁGUA, RIO, CHUVA - Jo 7.37-39 - Este símbolo é rico de significado. Tais os efeitos da água natural, em forma de rio ou de chuva, tais são os efeitos do Espírito Santo. Ele sacia a sede espiritual (Ap 22.17); lava as iniqüidades (Hb 10.22;  Tt 3.5); fertiliza e faz frutificar (Is 44.3,4; Sl 1; Jó 14.9); refrigera (Sl 42.2; 23.2).

4. ÓLEO, AZEITE - Zc 4.2-6 - Simboliza o poder restaurador (Lc 4.18; 10.34); habilitação para o serviço sagrado (Lv 8.10-12); para a eficácia no serviço (At 10.38); para transmitir conhecimento espiritual (1 Jo 2.20); para nos confirmar em Cristo (2 Co 1.21; Hb 3.14).

5. SELO - Ef 1.13; 2 Tm 2.19 - Simboliza a prova de propriedade, legitimidade, segurança e preservação (Rm 8.9).

6. POMBA - Mt 3.16,17 - Simboliza pureza e inocência (Lc 2.24;  Gn 8.7-9). Quando o Espírito Santo veio sobre os discípulos no pentecostes, veio em forma de fogo, porque havia o que purificar neles. Sobre Jesus, entretanto, veio em forma de pomba, porquanto nada havia a purificar.

            Há outros símbolos do Espírito Santo na Bíblia, estes são os principais e que maior significado traz para os salvos. Ilustra bem o cuidado que devemos ter no relacionamento com ele, especialmente na irrestrita obediência que lhe devemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário