aBERTURA

SETADI

Núcleo de Uibaí

Próximo Módulo em 21 de Maio de 2011

Disciplinas: Soteriologia e Cristologia

Compromisso com o ensino da Palavra de Deus!

Pré-Congresso

De Jovens

Dia 14 (Sábado) de maio na AD de Uibaí

Participe!

DIAS DE CULTOS

1. Domingo

- Escola Bíblica Dominical - Manhã

- Culto de Departamentos - Noite

2. Terça-Feira - Culto de Doutrina

3. Quarta-Feira - Culto Familiar

4. Quinta-Feira - Culto da Vitória

5. Sexta-feira - Circulo de Oração

Visite-nos!

Corpo de Obreiros

Credo das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil

Cremos...

1. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).

2. Na inspiração verbal da Bílbia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17).

3. Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is 7.14; Rm 8.34 e At 1.9).

4. Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus (Rm 3.23 e At 3.19).

5. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus (Jo 3.3-8).

6. No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26 e Hb 7.25; 5.9).

7. No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6 e Cl 2.12).

8. Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo (Hb 9.14 e 1Pd 1.15).

9. No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7).

10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1 Co 12.1-12).

11. Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda - visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16. 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5 e Jd 14).

12. Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra (2Co 5.10).

13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15).

14. E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis (Mt 25.46).

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

CLASSIFICAÇÃO DOS SERMÕES

CLASSIFICAÇÃO DOS SERMÕES



            Existem vários tipos de sermões: interrogativo, telescópico, jóia, classificatório, Helegiano, apologético, situacional, temático, textual e expositivo. No entanto, trataremos sobre os três últimos, por serem os mais utilizados no meio teológico.

1. Sermão tematico
            É aquele cujas divisões principais derivam-se do tema, independente do texto. A base é o tema e não o texto.
            Exemplo 1:
            Tema: Cristo, o vencedor.
            Texto: Ap 5.5
            Introdução
            I - Venceu o desprezo do mundo
            II - Venceu os corações endurecidos
III - Venceu a morte
Conclusão

Exemplo 2:
Tema: O que Deus faz para quem nele espera
Texto: Sl 40.1-3
Introdução
I - Deus o ergue (Jô 36.7)
II - Deus o restabelece (II Sm 9.1-13)
III - Deus o sustenta (Sl 23.1)
IV - Deus não deixa confundido (Is 49.23)
Conclusão

2. Sermão textual
            É aquele em que as divisões principais são derivadas de um texto constituído de uma breve porção da bíblia. No máximo 3 (três) versículos.
            Exemplo 3
            Tema: Razões para louvar a Deus
            Texto: Sl 103.3-5
            Introdução
            I - Ele perdoa todas as minhas iniqüidades
            II - Ele sara as minhas enfermidades
            III - Ele redimiu a minha vida da perdição
            IV - Ele de amor e compaixão
            V - Ele renova a minha vida
            Conclusão
           
            Exemplo 4
            Tema: As recompensas para quem busca ao Senhor
            Texto: II Cr 7.14
            Introdução
            I - As orações são respondidas
            II - Os pecados são perdoados
            III - A terra é sarada
            Conclusão

3. Sermão expositivo
            É aquele em que uma porção mais ou menos extensa da escritura é interpretada em relação a um tema ou assunto. Um capítulo ou um livro.
            Exemplo 5
            Tema: Qualidades para ser hóspede de Deus
            Texto: Sl 15
            Introdução
            I - Andar com sinceridade
            II - Praticar a justiça
            III - Falar a verdade
            IV - Não difamar o próximo
            V - Não fazer mal ao próximo
VI - Não aceitar suborno
VII - Não emprestar seu dinheiro com usura
VIII - Não lançar injuria contra seu vizinho
Conclusão

            Exemplo 6
            Tema: Os sinais de uma igreja cheia do Espírito Santo
            Texto: At 2.36-47
            Introdução
            I - Tem doutrina (v. 42)
                I.I - Perseveram na doutrina
                I.II - Ensinam a outros
            II - Tem comunhão
                II.I - Vertical – com Deus
                II.II - Horizontal – com o próximo
            III - Tem adoração
                III.I - Sincera
                III.II - Verdadeira
                III.III - Espiritual
            IV - Tem evangelismo
                IV.I - Proclamam a Cristo
                IV.II - Resgatam vidas
            V - Tem oração          
    V.I - Perseverante
    V.II - Intercessora
    V.III - Vitoriosa
    V.IV – Bíblica
Conclusão


PARTES DO SERMÃO

           

Em uma redação existe começo, meio e fim. Essa três partes é que farão com que o que foi escrito esteja organizado e de fácil compreensão dos leitores. Para o sermão ser melhor compreendido pelos ouvintes, é necessário que ele tenha introdução, desenvolvimento ou argumentação e conclusão.

1. Introdução
            É na introdução que o pregador despertará a atenção dos ouvintes, uma introdução planejada fará com que as pessoas fiquem na expectativa do que virá adiante.
            Quanto à introdução, podemos incorrer em alguns erros:
Ø Omitir.
Ø Ser demasiadamente longa.
Ø Fazer promessas que não podem ser cumprida.
ØAnúncio de termos que aparecerão no desenvolvimento, causando assim, uma falta de interesse ao sermão.
Ø Apresentar a introdução com desanimo.
Para que uma introdução tenha os êxitos esperados é necessário que:
Ø Seja breve
Ø Seja objetivo
Ø Seja interessante
A introdução pode ser apresentada por meio de uma boa ilustração, tirada ou não da bíblia, ou através de manchetes de jornais e outras fontes que estiveram ao alcance do pregador.

2. Desenvolvimento ou argumentação
            É o corpo do sermão do pregador. Essa parte pode ser divida em pontos e sub-pontos.
O pregador deverá possuir argumentos suficientes para desenvolver o tema proposto pelo sermão.

3. Conclusão
            Se a introdução do sermão se parece com o lançamento de um foguete espacial, a conclusão por sua vez, nos faz pensar no retorno do foguete a Terra. E se o foguete leva a bordo uma tripulação humana, o término do vôo se reveste de uma importância impossível de exagerar. É literalmente uma questão de vida ou morte (CRANE, p. 79).
            A conclusão pode ser feita através da recapitulação da mensagem pregada do uso de ilustrações ou fazendo aplicação motivacional.
           
Introdução, desenvolvimento e conclusão é o sermão, portanto, se faz necessário que haja uma interligação entre essa três partes. Deve-se sair da introdução para o desenvolvimento e do desenvolvimento para a conclusão de forma harmônica.
COMO DISCUTIR TEXTOS BÍBLICOS SOB PONTOS DE VISTAS DIFERENTES



1. Ponto de vista no seu significado
            Exemplo 6
Tema: Tempos de refrigério
Texto: At 3.19
Introdução
I - É um tempo de consolo
II - É um tempo de paz
III - É um tempo de conhecimento universal da Palavra de Deus
IV - É um tempo de justiça
Conclusão

Exemplo 7
Tema: Significado da ressurreição
Texto:
Introdução
I - É uma esperança viva
II - É o fundamento da nossa fé
III - É a certeza da ressurreição futura
IV - É a realidade da vida após a morte
V - É a convicção da veracidade da Bíblia
Conclusão

2. Ponto de vista das razoes que o apóiam
Exemplo 8
Tema: Por que viver em santidade
Texto: Hb 12.14
Introdução
I - Devemos viver em santidade porque veremos a Deus.
II - Devemos viver em santidade porque assim imitamos a Deus.
III - Devemos viver em santidade porque é a vontade de Deus.
Conclusão

Exemplo 9
Tema: por que sou dizimista?
Texto: Ml 3.10
Introdução
I - Sou dizimista porque Abraão como meu pai na fé foi. (Gn 14.20)
II - Sou dizimista porque reconheço que tudo vem das mãos de Deus.
III - Sou dizimista porque as minhas contribuições ajudam crescer o reino de Deus na Terra.
Conclusão

3. Ponto de vista dos meios empregados ou que se podem empregar para executar ou evitar determinada ação
            Exemplo 10
Tema: Como vencer o Diabo
Texto: Ef 6.10-18
Introdução
I - Revestindo do poder de Deus.
II - Revestindo de toda armadura de Deus
III - Manter em vigilância constante
IV - Não ceder às pressões
V - Não abrir a guarda depois de uma vitória
Conclusão

Exemplo 11
Tema: Como tomar posse da bênção de Deus
Texto: Gn 32.22-33
Introdução
I - Para tomar posse da bênção de Deus é necessário perseverança.
II - Para tomar posse da bênção de Deus é necessário humilhação.
III - Para tomar posse da bênção de Deus é necessário obediência.
Conclusão

4. Ponto de vista das causas que contribuíram para produzir uma determinada situação
Exemplo 12
Tema: As causas da falta de amor
Texto: Mt 24.12
Introdução
I - A falta de amor é causada pela multiplicação da iniqüidade.
II - A falta de amor é causada pela intervenção de satanás nos relacionamentos.
III - A falta de amor é causada pelo afastamento das pessoas em relação a Deus.
Conclusão

Exemplo 13
Tema: As causas da insensatez humana
Texto: Mt 7.25-27
Introdução
I - A insensatez humana é causada por um desconhecimento da Palavra de Deus.
II - A insensatez humana é causada pelo desprezo às coisas espirituais.
III - A insensatez humana é causada pela despreocupação com a vida do Senhor.
Conclusão

5. Ponto de vista dos efeitos produzidos por uma determinada ação
Exemplo 14
Tema: Efeitos do pecado de Davi
Texto: II Sm 11.12
Introdução
I - Tirou-lhe a alegria da salvação.
II - Manchou a sua vida espiritual.
III – Levou divisão para dentro de sua casa.
Conclusão

Exemplo 15
Tema: A ambição de Judas Iscariotes
Texto:
Introdução
I - Quando um filho de Deus se deixa dominar pela ambição, perde-se a visão do real propósito divino.
II - Quando um filho de Deus se deixa dominar pela ambição, trocam-se valores espirituais por materiais.
III - Quando um filho de Deus se deixa dominar pela ambição, perde-se o desejo pela vida espiritual.
Conclusão








Nenhum comentário:

Postar um comentário