aBERTURA

SETADI

Núcleo de Uibaí

Próximo Módulo em 21 de Maio de 2011

Disciplinas: Soteriologia e Cristologia

Compromisso com o ensino da Palavra de Deus!

Pré-Congresso

De Jovens

Dia 14 (Sábado) de maio na AD de Uibaí

Participe!

DIAS DE CULTOS

1. Domingo

- Escola Bíblica Dominical - Manhã

- Culto de Departamentos - Noite

2. Terça-Feira - Culto de Doutrina

3. Quarta-Feira - Culto Familiar

4. Quinta-Feira - Culto da Vitória

5. Sexta-feira - Circulo de Oração

Visite-nos!

Corpo de Obreiros

Credo das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil

Cremos...

1. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).

2. Na inspiração verbal da Bílbia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17).

3. Na concepção virginal de Jesus, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus (Is 7.14; Rm 8.34 e At 1.9).

4. Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus (Rm 3.23 e At 3.19).

5. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus (Jo 3.3-8).

6. No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26 e Hb 7.25; 5.9).

7. No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6 e Cl 2.12).

8. Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa mediante a obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo (Hb 9.14 e 1Pd 1.15).

9. No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7).

10. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade (1 Co 12.1-12).

11. Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira - invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda - visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16. 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5 e Jd 14).

12. Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra (2Co 5.10).

13. No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15).

14. E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis (Mt 25.46).

sábado, 27 de novembro de 2010

HERMENÊUTICA


AULA 01

INTRODUÇÃO

O termo "hermenêutica" deriva do grego hermeneuein, "interpretar". A Hermenêutica Bíblica cuida da reta compreensão e interpretação das Escrituras. Consiste num conjunto de regras que permitem determinar o sentido literal da Palavra de Deus.
É o estudo cuidadoso e sistemático da Escritura para descobrir o significado original que foi pretendido. É a tentativa de escutar  a Palavra conforme os destinatários originais devem tê-la ouvido; descobrir qual era a intenção original das palavras da Bíblia. É o estudo cuidadoso e sistemático da Escritura para descobrir o significado original que foi pretendido. É a tentativa de escutar  a Palavra conforme os destinatários originais devem tê-la ouvido; descobrir qual era a intenção original das palavras da Bíblia.
         A Escritura é explicada pela Escritura e pelo Santo Espírito. A Bíblia interpreta a própria Bíblia..

A NECESSIDADE DO ESTUDO

Atos 8:26 Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te, e vai em direção do sul pelo caminho que desce de Jerusalém a Gaza, o qual está deserto. 27 E levantou-se e foi; e eis que um etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, o qual era superintendente de todos os seus tesouros e tinha ido a Jerusalém para adorar, 28 regressava e, sentado no seu carro, lia o profeta Isaías. 29 Disse o Espírito a Filipe: Chega-te e ajunta-te a esse carro. 30 E correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías, e disse: Entendes, porventura, o que estás lendo? 31 Ele respondeu: Pois como poderei entender, se alguém não me ensinar? e rogou a Filipe que subisse e com ele se sentasse. 32 Ora, a passagem da Escritura que estava lendo era esta: Foi levado como a ovelha ao matadouro, e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, assim ele não abre a sua boca. 33 Na sua humilhação foi tirado o seu julgamento; quem contará a sua geração? porque a sua vida é tirada da terra. 34 Respondendo o eunuco a Filipe, disse: Rogo-te, de quem diz isto o profeta? de si mesmo, ou de algum outro? 35 Então Filipe tomou a palavra e, começando por esta escritura, anunciou-lhe a Jesus.

   1-.O próprio Pedro admitiu que há textos difíceis de entender: "os quais os indoutos e inconstantes torcem para sua própria perdição" (2  Pedro 3:15 e 16).
   2-.A arma principal do soldado cristão é a Escritura, e se desconhece o seu valor ou ignora o seu legítimo uso, que soldado será? (2 Timóteo 2:15).
   3- .As circunstâncias variadas que concorreram na produção do maravilhoso livro exigem do expositor que o seu estudo seja meticuloso, cuidadoso e sempre científico, conforme os princípios hermenêuticos.

1 - É necessário tomar as palavras no sentido que indica o contexto, isto é, os versos que precedem e seguem o texto que se estuda. Consulte o texto imediato e remoto.

Comente as seguintes situações:

a)      É possível provar com a bíblia o ateísmo, pois nela se encontra a asserção “Não há Deus”.
b)      Em Rm 7:1-6 Paulo demonstra que agora estamos livres da lei”. De que lei fala o apóstolo?




2 – Vocabulário do escritor -  Enquanto for possível, é necessário tomar as palavras no seu sentido usual e ordinário.   É absolutamente necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase.

Comente: Estamos debaixo da lei. (I João 1:4)

3 – O intuito do escritor - É preciso tomar em consideração o desígnio ou objetivo do livro ou passagem em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras..
            Esta regra tem importância especial quando se trata de determinar se as palavras devem ser tomadas em sentido literal ou figurado. Para  não incorrer em erros, convém, também, deixar-se guiar pelo pensamento do escritor, e tomar as palavras no sentido que o conjunto do  versículo indica.

Ex.:
·         Apóstolo João no fim do seu evangelho (20:30-31)
·         Lucas no começo de seu evangelho (1:1-4)
·         Dedução ( Rom. 1:1-7; Gal 1:6-7; I Tim 1:3-4 )
·         Chaves ( Num 1:1 -  No deserto )


4 – Paralelismo e correlação  - É indispensável consultar as passagens paralelas explicando as coisas espirituais pelas espirituais (I Cor 2:13).

·         Verbais passagens que ocorrem as mesmas palavras.
·         Reais – se trata do mesmo assunto ou se expõe a mesma doutrina. (evangelhos)























AULA 02



AUXÍLIOS EXTERNOS


A.  contexto histórico: a época e a cultura do autor e dos seus leitores: fatores geográficos, topográficos e  políticos, a ocasião da produção do livro. A questão mais importante do contexto histórico tem a ver com a ocasião e o propósito de cada livro.

Ageu 1:4 Acaso é tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica desolada?


Faça uma análise contextual histórica do texto acima e explique o que o porque o Senhor pronunciou esta palavra através do profeta Ageu ao povo.

Época :
O autor:
Fatores geográficos:
Situação política:
Situação do povo:


Interpretar historicamente: o interprete deve descobrir as circunstâncias para um determinado escrito vir à existência. É necessário conhecer as maneiras, costumes, e psicologia do povo no meio do qual o escrito é produzido. A psicologia de uma pessoa inclui suas idéias de cronologia, seus métodos de registrar a história, seus usos de figura de linguagem e os tipos de literatura que usa para expressar seus pensamentos.


           B. contexto literário: as palavras somente fazem sentido dentro das frases, e estas em relação às frases  anteriores e posteriores. Devemos procurar descobrir a linha de pensamento do autor. O que o autor  está dizendo e por que o diz exatamente aqui?

            Reconhecer o que o autor tenciona dizer:
            Quando Jesus disse “Eu sou a porta” entendemos essa expressão como comparação. Quando Ele disse: Vê e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus”, sua intenção era que a palavra fermento simbolizasse a doutrina de grupos. Quando disse ao paralítico: “levanta-te, toma o teu leito, e vai para a tua casa”. Ele esperava que o paralítico obedecesse.

C. interpretar lexicamente (dicionários). É conhecer a etimologia das palavras, o desenvolvimento histórico de seu significado e o seu uso no documento sob consideração. Esta informação pode ser conseguida com a ajuda de bons dicionários. o uso dos dicionários, deve notar-se cuidadosamente o significar-se da palavra sob consideração nos diferentes períodos da língua grega e nos diferentes autores do período.
      
D..interpretar sintaticamente: o interprete deve conhecer os princípios gramaticais da língua na qual o documento está escrito, para primeiro, ser interpretado como foi escrito. A função das gramáticas não é determinar as leis da língua, mas expô-las. O que significa, que primeiro a linguagem se desenvolveu como um meio de expressar os pensamentos da humanidade e depois os gramáticos escreveram para expor as leis e princípios da língua com sua função de exprimir idéias.  Para quem deseja aprofundar-se é preciso estudar a sintaxe da gramática grega, dando principal relevo aos casos gregos e ao sistema verbal a fim de poder entender a estruturação da língua grega. Isto vale para o hebraico do Antigo Testamento.
      
Leitura.

Ø  A bíblia explicada - CPAD
Ø  A bíblia no mundo de hoje – Cryswel - Juerp
Ø  A bíblia vida nova – Russel P. Shedd
Ø  A pequena enciclopédia da bíblia – O S. Boyer
Ø  Esboço de teologia sistemática – Langston – Juerp
Ø  Geografia bíblica  - Osvaldo Ronis – Juerp
Ø  Introdução ao estudo do novo testamento grego – W. C. Taylor
Ø  Manual de hermenêutica sagrada A Almeida Casa Editora Presbiteriana
Ø  Merece confiança o novo testamento?  F.F. Bruce  - Vida Nova
Ø  comentário bíblico de Moody – Imprensa Batista Regular
Ø  Pregação ao alcance de todos Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, Reifler H. U.
Ø  Hermenêutica avançada Princípios e processos de interpretação bíblica Ed vida.
























AULA 03


LINGUAGEM LITERAL E FIGURADA


            Certos textos devem ser entendidos literalmente. Há também na Bíblia passagens em linguagem figurada. Devemos ler a bíblia deixando-a significar o que quer dizer. Sua linguagem figurada é geralmente indicada pelo contexto; sues símbolos e tipos são explicados por outras passagens, quando não o são no prórpio texto ou no contexto imediato. Fora disso, sua linguagem deve ser entendida literalmente, a não ser que o sentido requeira interpretação figurada..

FIGURAS PRINCIPAIS


1 - Metáfora – é uma comparação não expressa. É a figura em que se afirma que alguma coisa é o que ela representa ou simboliza, ou como que se compara. O sujeito está entrelaçado com a coisa comparada. Ao contrário da símile que é uma comparação expressa onde o sujeito está de fora.
Ex.: Metáfora -“Eu sou o pão da vida”.  “Vós sois a luz do mundo”
        Símile – “O reino dos céus é semelhante...”)

1        Metonímia. É o emprego do nome de uma coisa pelo de outra com que tem certa relação.
Ex.: Jó 32:7 “Falem os dias e a multidão dos anos ensine a sabedoria”.  Aidade por aqueles que a têm. Gn 25:23 “Duas nações há no teu ventre”. Os progenitores pelas descendências.

2        Sinédoque – É a substituição de uma idéia por outra que lhe é associada.
Ex.: Gn 6:12 “E viu Deus a terra, e eis que estava corrompida” – do geral pelo particular.

3        – É a afirmação em que as palavras vão além da realidade literal das coisas.
Ex.: Dt 1:28 “As cidades são grandes e fortificadas até os céus”.

4        Ironia - É a expressão de um pensamento em palavras que, literalmente entendidas , exprim iriam o pensamento oposto.
Ex.: Juízes 10:14 “Clamai aos deuses que escolhestes, eles que vos livrem no tempo de vosso aperto.

5        Prosopopéia – É personificação de coisas ou de seres irracionais.
Ex.: Sl 35:10 “Todos os meus ossos dirão: Senhor quem é como tu”.

6        Antropomorfismo – É a linguagem que atribui a Deus ações e faculdades humanas, e até osso e membros do corpo humano.
Ex.: Gn 8:12 “O Senhor cheirou o suave cheiro, e disse o senhor no seu coração”.

7        Parábola – É uma narrativa de acontecimento real ou imaginário em que tanto as pessoas como as coisas e as ações correspondem a verdades de ordem espiritual e moral.



Regras de interpretação das parábolas:

Primeira – Todos os termos devem ser interpretados.
Segunda – Devemos procurar o ponto central.
Terceira – Deve-se conhecer a interpretação dos símbolos bíblicos.
Quarta – Prestar atenção no início e no fechamento.
Quinta – Os passos mais obscuros interpretam-se pelos mais claros.
Sexta – Em certos casos um termo, pode aplicar-se com variadas modalidades.

8 – Provérbios – Demonstram a verdadeira religião em termos práticos e significativos. Os provérbios têm um único tipo de comparação ou princípio de verdade para comunicar. Não se pode ir além da intenção do autor.
Ex.: Pv 31:14 –


TEMPOS E ÉPOCAS.

Para interpretar corretamente a bíblia é preciso distinguir os tempos. Não devemos confundir as injuções e os privilégios de uma era com os de outra. Podemos observar este detalhe em Hebreus 1:1

ANÁLISE TEOLÓGICA

            A pergunta fundamental feita na análise teológica é: Como essa passagem se enquadra no padrão total da revelação de Deus?. Antes de respondermos a esta pergunta, devemos Ter uma compreensão do padrão da história da revelação.
            Há, neste momento uma necessidade de conhecimento dos conceitos de graça, lei, salvação e o ministério do Espírito Santo.

CONCLUSÃO DA PRIMEIRA PARTE DO CURSO

            Até aqui aprendemos que a interpretação bíblica através da hermenêutica é um somatório de regras e leis que permitem encontrar o sentido exato dos textos. A hermêutica indica os caminhos para essa interpretação, entretanto outras matérias correlacionadas (crítica textual, exegese, teologia sistemática, teologia bíblica, estudo do Cânon, crítica histórica) fornecerão os subsídios necessários para a interpretação.

            Cada um de nós vê a realidade através de olhos condicionados pela cultura e por uma variedade de outras experiências.
            Os escritores bíblicosproduziram, literalmente “soprado por Deus” escritos sem suspender seus estilos pessoais de expressão ou liberdade.
            No estudo da bíblia deve-se determinar tão intimimamente quanto possível o que Deus queria dizer em determinada passagem, e não o que ela significa para mim.













Nenhum comentário:

Postar um comentário